Dicas para reduzir o eco em ambientes grandes

por / quarta-feira, 10 setembro 2014 / Publicado em Projeto isolação acústica, Tratamentos acústicos

Ambientes vazios muito grandes costumam ter aquele eco, ou reverberação, desagradável. Se for um salão de festas, então, nem se fala: o ruído de pessoas conversando somado à música alta provoca um desconforto enorme, e podem prejudicar sua festa. Aqui vão algumas dicas para ajudar você a reduzir o eco em ambientes grandes.

Dicas para reduzir o eco

Imagem: Info Escola

A palavra chave para reduzir o eco em ambientes é absorção sonora. Você precisa encontrar uma maneira de diminuir a reverberação, colocando elementos que absorvam o ruído. Existem alguns materiais que possuem essas características: tecidos grossos, como cortinas de veludo e tapetes; móveis e objetos de madeira; e material isolante no forro.

O forro é um bom local para você atacar e tentar reduzir o eco. Colocar materiais porosos ou fibrosos, perfurados ou com ranhuras, rígidos ou de estrutura microcelular melhoram o tempo de reverberação do som. Além do mais, diminuem a passagem de som para o ambiente externo, ajudando no isolamento acústico .

Existem cinco principais tipos de forros: os de fibra mineral, compostos de argila e resíduos minerais; os de fibra de vidro; os de gesso; os de madeira; os de espuma; e os metálicos. É bom lembrar que o tipo de forro ideal vai depender da finalidade do ambiente, já que cada um possui vantagens que variam conforme o tipo e frequência sonora.

Para reduzir o eco em um ambiente, esses elementos devem estar já no início do projeto e escolhidos com base em recomendações de profissionais especializados em acústica. As tentativas de corrigir a acústica em ambientes já prontos costumam ser pouco eficazes e muito caras. É a velha história do “barato que sai caro”.

Por isso, se você está planejando construir um salão de festas em um ambiente grande, antes mesmo de comprar o cimento, planeje direitinho como será feito o isolamento acústico e não corra o risco de ter que apelar para técnicas pouco eficazes para reduzir o eco.

Deixe uma resposta

TOP