Como descobrir se a minha empresa precisa de isolamento acústico?

por / terça-feira, 16 maio 2017 / Publicado em Cabine acústica, Isolamento acústico

Analisar o volume e a regularidade dos sons emitidos pela empresa é importante para definir se é preciso investir em isolamento acústico.

Distinguir os sons de uma rotina corporativa ‘comum’ daqueles que podem ser configurados como poluição sonora é fundamental para garantir melhores condições aos colaboradores e preservar um bom relacionamento com a vizinhança.

Na hora de repensar se a empresa precisa ou não de isolamento acústico, um fator decisivo que deve ser levado em conta é a saúde dos colaboradores. Entre as complicações causadas pela poluição sonora, estão desde zumbidos, até dores de cabeça, estresse, comprometimento da audição e hipertensão arterial.

Afinal, um bom relacionamento entre vizinhos deve ser pautado pela educação e respeito mútuo. Porém, ele pode ser abalado caso fatores externos repercutam na rotina dos prédios e casas da região. Um desses motivos pode ser a exposição contínua à poluição sonora, que atrapalha principalmente a rotina de crianças e idosos, causando problemas que poderiam ser evitados com um projeto de isolamento acústico.

Analisar o barulho é o primeiro passo para avaliar a necessidade de isolamento acústico

Entre os segmentos que mais precisam reduzir a incidência de barulho e, consequentemente, necessitam desse serviço, estão indústrias, estúdios musicais e comércios, entre outros. Um bom parâmetro pode ser o volume comprovadamente certificado: segundo a Sociedade Brasileira de Otologia (SBO), a intensidade de barulhos considerados seguros para os ouvidos humanos é de até 85 decibéis.

Tais sons podem ser alcançados em avenidas movimentadas, por exemplo, e podem até parecer inofensivos – porém, após oito horas de exposição diárias, eles se tornam nocivos à saúde. Para manter a segurança dos colaboradores, é importante realizar uma checagem específica para verificar a necessidade do isolamento acústico.

No caso de empresas localizadas junto a áreas residenciais, é importante realizar uma checagem específica para verificar a necessidade do isolamento acústico.

Uma regra essencial para a análise dos empreendedores é a Norma Brasileira (NBR)10.151/200, que pertence à Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) e regulamenta que, em locais residenciais, os ruídos não podem ultrapassar o limite de 50 decibéis durante a noite, entre as 20h e às 7h. Já no período diurno (7h às 20h), o máximo permitido é o limite de 55 decibéis.

Outros aspectos que podem ser levados em consideração durante a decisão de um investimento em isolamento acústico na empresa são:

  • A realização de testes audiométricos em cabines acústicas periodicamente
  • Checagens regulares da saúde e níveis de bem-estar ou estresse (e seus motivos) dos colaboradores por meio de boletins médicos e pesquisas internas de satisfação
  • Medições dos sons causados externa e internamente nos locais de trabalho
  • Revisões estruturais do ambiente, com reforço nas instalações e materiais utilizados para o isolamento acústico no local

As respostas dessas perguntas é que guiarão o empreendedor ao caminho que melhor atenderá a sua empresa, que pode ou não ser trilhado por soluções de isolamento acústico.

Feita a análise de todos os aspectos do problema, empresas especializadas em tratamento acústico podem indicar as soluções adequadas com o objetivo de minimizar os efeitos dos sons excessivos emitidos por máquinas e equipamentos.

Para manter a política de boa vizinhança e cumprir o estabelecido pela lei, as soluções acústicas devem ser personalizadas de acordo com os tipos e níveis dos barulhos e suas fontes, além do tamanho de cada local, circulação de pessoas, entre outros fatores, para, dessa forma, proporcionar o melhor conforto acústico para a sua empresa e uma convivência amistosa com os vizinhos.

Deixe uma resposta

TOP