RELAÇÕES ENTRE SAÚDE E RUÍDO

por / quarta-feira, 15 junho 2011 / Publicado em Informações Acústicas

Segundo a OMS2 o som é um agente físico resultante da vibração das moléculas do ar, transmitindo-se em ondas longitudinais.

Essa energia produzida é captada pela nossa orelha e transformada em impulso nervoso sendo transmitida pelo sistema nervoso e transformada em percepção auditiva.

Ainda segundo a OMS o limite tolerável ao ouvido humano é de 65 dB(A) e o som emitido acima desta intensidade pode provocar alterações não só auditivas mas sistêmicas.

As alterações sistêmicas encontradas podem ser desde alterações do sistema nervoso, passando por distúrbios do aparelho digestivo e cardiorespiratório, até alterações sensitivas como dificuldade de acomodação visual. Um dos fatores que atualmente recebe importância no rol dos distúrbios provocados pelo ruído é o da perturbação da saúde mental.

O que se observa atualmente é que há normas acústicas que determinam a avaliação do ruído em áreas habitadas visando o conforto da comunidade enunciando o devido procedimento com respaldo da Associação Brasileira de Normas Técnicas.

A Norma NBR 10151 da ABNT em sua Tabela 1, determina valores mínimos de intensidade sonora nos principais tipos de áreas conforme a descrição a seguir:

Tipos de Áreas Diurnos Noturno

Tipos de áreas Diurno Noturno
Áreas de sítios e fazendas 40 35
Área estritamente residencial urbana, ou de hospitais ou de escolas 50 45
Áreas mistas predominantemente residenciais 55 50
Áreas mistas com vocação comercial e administrativa 60 55
Áreas mistas com vocação recreacional 65 55
Áreas predominantemente industriais 70 60
TOP