Estúdio com isolamento acústico proporciona melhores resultados nas produções musicais.

por / quinta-feira, 01 dezembro 2016 / Publicado em Isolamento acústico, Tratamentos acústicos
Tratamento e isolamento acustico para estudio de gravaçao

O isolamento acústico em estúdios impede que ruídos prejudiquem ensaios e gravações garantindo maior qualidade na música.

Nada mais aborrece um músico de ouvido afiado quando ele percebe, na mixagem de sons, a presença de ruídos externos indesejáveis que pode levar por água abaixo horas de trabalho.

Quem vive de música ou mesmo quem pratica como hobby sabe da importância de um bom estúdio para ensaiar, gravar e fazer mixagem de som sem se preocupar com ruídos externos ou se o volume dos instrumentos está incomodando a vizinhança. Por isso, além de bons equipamentos de áudio, do talento e aperfeiçoamento constante que a arte musical exige, é fundamental ter um espaço com isolamento e também com tratamento acústico para que a resultado da gravação reflita bem a qualidade da produção.

Há dois motivos principais para se ter um estúdio com isolamento acústico.

O primeiro e mais óbvio é evitar desentendimentos com outras pessoas que vivem nas proximidades. Mesmo que suas composições e arranjos sejam ótimos, muitas pessoas valorizam o silêncio nas horas de descanso e estudo, por exemplo. Você não quer que sua música se torne uma espécie de poluição sonora para os outros, quer?

vizinhos barulhentos

Da mesma forma, é importante impedir que a interferência de ruídos externos prejudiquem a sonoridade.

É neste sentido que o isolamento acústico irá favorecer os ensaios e gravações, impedindo que o barulho do trânsito, das conversas alheias ou qualquer outro tipo de ruído prejudiquem o seu trabalho.

O melhor isolamento acústico depende do material das paredes

As paredes são as primeiras a limitar a entrada e saída de sons, mas o tipo de material utilizado melhora a eficácia. Para realmente isolar o som do interior da sua sala para o exterior, materiais pesados são mais indicados.

Alguns materiais vibram menos quando atingidas por ondas sonoras. Por exemplo, a alvenaria com 1cm de reboco atenua 23 decibéis, enquanto que o gesso acartonado e o concreto armado absorvem, respectivamente, 40 e 60 decibéis. Portanto, quanto mais resistente à vibração for a parede, menor será a reverberação, tanto para fora quanto para dentro.

Tratamento acústico em estúdios impede a reverberação e o eco

Além do isolamento acústico que impede que barulhos de um ambiente interfiram em outro, em um estúdio de música outro fator merece atenção. Em uma sala fechada e isolada acusticamente, o som sofre efeitos que prejudicam o resultado final da música. Estamos nos referindo à reverberação e ao eco que são comuns acontecerem em ambientes não tratados acusticamente. Isso ocorre em salas composta por materiais duros como as paredes de alvenaria, piso em cerâmica, metais, etc. Esse tipo de ambiente apresenta reflexão sonora que ocorre quando o som dentro da sala reflete em todas as paredes e volta com atraso, gerando eco.

camara_silencio_eua_02

O que fazer para obter um bom isolamento e tratamento acústico

É sabido que o som se propaga em ondas pelo ar, portanto o uso de materiais que absorvem a reverberação ou impedem sua propagação é o primeiro fator a considerar quando for construir um estúdio.

A absorção acústica evita que o som bata em uma superfície e volte para o ouvinte e cause efeitos como o eco. Mas em um estúdio de ensaios ou gravações profissionais, o excesso de absorção de som pode deixar o som muito “morto”. Para evitar que a solução de um problema acabe causando outro, o tratamento e o isolamento acústico de um estúdio de música é algo sério e deve ser planejado por profissionais competentes.

Alguns materiais podem atuar tanto como bloqueadores como absorvedores sonoros, e dessa forma, também melhorar a qualidade do som.

A lã de rocha ou a lã de vidro, por exemplo, podem ser aplicadas sob forros ou em forros falsos, em telhas metálicas e na alvenaria. Uma saída muito eficiente é fazer um “sanduíche” com lã de rocha, colocando-a entre duas paredes (uma delas pode até mesmo ser de madeira). O que importa é a espessura da lã: quanto maior, melhor será o isolamento acústico do estúdio.

Outra opção, mais econômica, é revestir as paredes e o teto com espuma acústica, que é produzida com poliuretano poliéster flexível e anti-chamas. Ela funciona como um absorvedor sonoro e adequa a reverberação dentro do ambiente, sendo útil para equilibrar as frequências grave, média e aguda. Sua aplicação é recomendada quando se quer evitar reformas profundas.

Também é muito importante dar atenção às portas, pois de nada adianta o estúdio estar coberto com material absorvente se a entrada/saída dele não estiver bem vedado. Fabricadas com folha em chapa metálica dobrada, preenchidas com material acústico de alta densidade e fonoabsorvedor, as portas acústicas impedem o vazamento de som.

Outro local importante que deve ser considerado no isolamento acústico em um estúdio é a janela que separa a sala de gravação do aquário, ambiente onde se localizam as mesas de som, equalizadores, fones de ouvido e demais equipamentos de gravação. É muito importante que o vidro utilizado no visor acústico de um estúdio de gravação seja capaz de reduzir a passagem de barulho em pelo menos 50 decibéis. Para isso, esses visores podem ser compostos de diferentes camadas de vidros.

Deixe uma resposta

TOP